0

Como anda sua conversação?

Parece muito simples e fácil desenvolver uma conversação entre amigos, colegas de trabalho, família ou grupos, mas nem sempre essa tarefa é tão fácil e eficiente.

A comunicação é um importante mecanismo de interação e facilitador do desenvolvimento das relações pessoais, profissionais e sociais, mas, exige alguma atenção e cuidados para que se desenvolva, de forma a agregar valores às relações que a envolvem.

Arte: Markentista

Estou falando de conversação, aquela que nos oferece condições de conhecermos melhor as ideias e a vida das outras pessoas, e não esta comunicação superficial e frenética que temos praticado com as novas facilidades tecnológicas e que tem sido, em geral, superficial e pouco colaboradora para inspirar, tocar, consolar ou incentivar pessoas.

Pense em sua casa ou em seu ambiente de trabalho:  sua conversação tem sido suficiente para um crescente fortalecimento de relações mais próximas e humanas? Você tem tido interesse e tempo para essa troca e conhecimento das necessidades do outro a sua frente?

Em tempos de intolerância e pouca paciência para com o outro, manter uma conversação empática é um desafio e tanto. Colocar-se na perspectiva do outro, compreender seus pensamentos e sentimentos, assim como sua visão do mundo ajuda muito a facilitar esse diálogo e cooperação no viver e fazer cotidiano.

Se buscamos ambientes mais saudáveis e colaborativos precisamos ser mais empáticos e desenvolver formas de interação mais sustentáveis. Seguem algumas sugestões que podem ajudá-lo:

– Desenvolva a curiosidade pelo outro, muitas vezes, um estranho conhecido ao seu lado! Isso nada tem a ver com ser fofoqueiro e invasivo. Desperte seu interesse pela diversidade do outro, apenas isso!

– Escute as pessoas sem barreiras, preconceito e com atenção. Sentir que alguém nos escuta com interesse e acolhimento traz um sentimento de valorização e respeito. Não compreender a necessidade do outro é um verdadeiro fracasso na comunicação!

– Desarme-se! Uma conversação reativa e agressiva não traz avanços nem soluções satisfatórias, além de enfraquecer e destruir os laços das relações entre as pessoas.

– Mostre-se! Dificilmente você desenvolverá uma boa conversação e parceria sem se abrir. A compreensão mútua só se dá, quando ambos os lados se mostram e permitem conhecerem a sua vulnerabilidade.

–  Importe-se com o outro! Preocupe-se com o bem-estar do seu amigo, colaborador ou familiar.

– Permita-se escutar algo novo, algo que o obrigue a pensar e agir fora dos padrões. Dê espaço para que nesses encontros de ideias surja algo novo, criativo. Aprenda a cocriar!

– Seja corajoso! Não é fácil experimentar o novo, abrir-se ao diferente, falar o que gostaríamos de evitar, e tantas outras coisas que podem favorecer e transformar uma conversação e uma relação.

Arrisque-se e avance nessa conversação empática! Isso pode mudar você e o mundo ao seu redor. Acredite!

Vânia Vidal de Oliva é Psicóloga Clínica com 28 anos de experiência no atendimento de adolescentes, adultos e na orientação familiar. Atua hoje na Clínica Casa do Crescer na cidade de Curitiba. Colunista do site Mãezíssima, do blog da Clínica Base e do blog Markentista.

Deixe um comentário