0

Entrevista com Paulo Murilo Fontoura Júnior

A cidade maravilhosa será palco de um encontro que promete fortalecer e valorizar ainda mais o mercado odontológico. O 21º CIORJ – Congresso Internacional de Odontologia será realizado entre os dias 10 e 13 de julho, no Rio de Janeiro.

Considerado o maior encontro científico de Odontologia no Brasil, com mais de 800 horas de atividades científicas, a comissão preparou atividades divididas por módulos, simpósios e eventos paralelos com grandes referências da odontologia.

O blog Markentista conseguiu uma entrevista inédita com Paulo Murilo Fontoura Júnior, presidente do CIORJ, que nos contou um pouco sobre os preparativos, como definiu a grade científica e o que podemos esperar de inovação para o evento.

Fonte da imagem: Divulgação

Markentista. Para iniciar nossa entrevista conta pra gente um pouco da sua trajetória na odontologia. Como chegou até a posição de presidente do CIORJ?

Paulo Murilo. Era uma vez… Rsrsrs. Bom, a história é longa. O ano em que tudo começou realmente não sei, mas foi graças ao convite de um grande amigo, que infelizmente já nos deixou, Dr. Nicolino Tancredo. Na ocasião, ainda estudante, comecei a trabalhar na comissão social do CIORJ. Era uma grande festa, nosso negócio era basicamente fazer produtos com a marca do evento e vender como lembranças. Com o tempo, fui sendo aproveitado em outras atividades, chegando à coordenação da área comercial.  Nesse momento, o trabalho já era algo mais complexo. Gerenciar uma feira com as dimensões do que temos no CIORJ, com mais de 250 empresas, não é tão simples. Os bons resultados do trabalho de nossa equipe me levaram à coordenação geral do CIORJ. Isso foi em 2007, o primeiro ano em que estava de fato à frente de todo um grupo de trabalho. Foi um ano bem complicado, ganhei uma paralisia facial decorrente do evento, mas o resultado final foi bem positivo. Desde então, ocupo essa posição, agora como presidente. Vamos agora para 4ª edição do CIORJ. Cada vez mais, um desafio.

MKT. Você se considera uma pessoa inovadora, um profissional que conseguiu trazer para o CIORJ um pouco de ousadia?

PM. Ninguém gosta de falar de si mesmo, comigo não é diferente. Prefiro ver como as pessoas me enxergam… Mas vamos lá… Sim, acho que procuro inovar, ousar, fazer diferente. Assim, acredito, mudamos um pouco a cara do CIORJ e o consolidamos como o maior encontro científico da Odontologia Brasileira, além de termos a segunda maior feira comercial do setor. Hoje em dia, nosso foco já mudou um pouco, nossa ousadia agora é a simplificação. O mundo está muito complexo, tudo é muito difícil – aliás, você já reparou quantos botões tem um controle remoto hoje em dia? – e as pessoas não têm mais tempo para ficar pensando muito. É preciso simplificar e facilitar a vida de todo mundo. Desta premissa, surgiram os módulos de especialidade e eventos paralelos. Agora, o profissional que vai ao CIORJ não precisa ficar pensando muito no que vai fazer. É tudo mais simples. Se ele é periodontista, por exemplo, lá está o módulo de periodontia, pronto para ele, com todas as apresentações de periodontia agrupadas. É o conceito de congressos dentro de um grande congresso, tudo segmentado, facilitando a vida do participante. Dizem que fazer o simples é o mais complexo, nós estamos passando por este desafio.

MKT. De que forma o evento pode fazer a diferença na vida do dentista e do profissional que está ligado a odontologia?

PM. Acredito que um evento como este tem um papel muito específico. Ninguém se capacita em quatro dias. Ainda que você não saia da sala de aula, isso não é possível. O CIORJ tem como principal objetivo estimular os profissionais e acadêmicos presentes. Nossa proposta é energizá-los, queremos que saiam do evento com todo ânimo para investir mais em sua formação, na melhoria de sua condição de trabalho. Ele precisa acordar na segunda-feira, pós-evento, feliz! Acreditando que tem a melhor profissão do mundo e que o sucesso só depende dele. Se existe algo que me deixa satisfeito é ver alguém comentando que se matriculou em algum curso, ou mudou algo em seu consultório, após participar do congresso. É o que nos dá força pra fazer cada vez mais.

MKT. Antigamente os temas Gestão e Marketing eram pouco discutidos em congressos. Você tem mudado um pouco a visão dos dentistas em relação a essas áreas. Podemos esperar muitos temas interessantes para 2013?

PM. Sim. Costumo dizer que existem assuntos que não deviam mais ser discutidos, que são tão óbvios a ponto de não justificarem questionamentos. A importância dos temas Gestão e Marketing para o cirurgião-dentista é um desses casos. Não é mais possível ignorar essas ciências no processo de formação. O profissional que não reconhecer esta realidade, certamente enfrentará dificuldades futuras. Marketing não é mágica, é ciência. Precisamos estudar, assim como fazemos com anatomia ou fisiologia. No CIORJ o tema é tratado com tanta importância que, além das diversas conferências sobre o tema (são mais de 10!), teremos o assunto abordado nos módulos clínico e acadêmico.

MKT. Qual a principal característica do dentista brasileiro que você considera um diferencial perante os dentistas do mundo?

PM. Qualidade técnica. Isso é indiscutível. O dentista brasileiro é um artista por natureza. Sua qualidade é inquestionável, fruto de um processo de formação que contempla e prioriza a técnica. No Brasil, no 3º ou 4º período da faculdade, o aluno já lida diretamente com pacientes, coisa impensável em outros países. Isso ajuda no desenvolvimento técnico.

MKT. A Consultoria Markentista acredita que o grande diferencial no atendimento ao cliente está relacionado ao fator humano. Acreditamos que uma equipe motivada torna os serviços odontológicos mais tangíveis e desejados pelos clientes. Qual a sua opinião em relação a esta nova abordagem e o que o CIORJ preparou para a capacitação e reciclagem da equipe auxiliar?

PM. Fator humano. Está aí um diferencial competitivo que ainda poucos profissionais percebem como importante. O dentista brasileiro ainda é muito focado na questão técnica. Ser um bom técnico não é mais diferencial, é obrigação. A partir daí é que se torna fundamental a diferenciação. O dentista e sua equipe precisam estar alinhados às necessidades de seus pacientes. O que, de fato, um paciente procura? Será uma coroa bem adaptada com término subgengival, etc, etc? Ou um sorriso que o deixe feliz? Pacientes poucas vezes conseguem perceber a diferença entre um serviço e outro (a menos quando há discrepâncias evidentes). Eles estão muito mais focados na qualidade do atendimento, em como ele é tratado desde sua chegada ao consultório.  Qualidade técnica isolada não é mais uma vantagem competitiva.  No congresso teremos um módulo exclusivamente para ASB e TSB, onde abordaremos este assunto.

MKT. Com a força da internet é possível fazer um evento mais interativo? O que as Redes Sociais trazem de positivo para eventos como o CIORJ?

PM. As redes sociais são como termômetros 24 horas. Através delas, dos comentários, do número de compartilhamentos, de quantas “curtidas”, enfim, de tudo que ali acontece, é possível avaliar cada ação tomada no processo de construção do evento. O poder de multiplicação da informação nestas redes é uma ferramenta fantástica para divulgação. Estamos focados na utilização do Facebook como principal plataforma de divulgação. Visitem e curtam nossa página (aqui)!

MKT. Qual a grande novidade para o evento deste ano e por que o profissional não pode deixar de participar?

PM. A novidade é a simplificação da grade científica. O dentista ou acadêmico que vai ao CIORJ não precisa de mais do que 5 minutos para saber tudo que acontece e o que é mais adequado à sua necessidade. Além disso, teremos uma programação de altíssimo nível em todas as áreas. O CIORJ 2013 está priorizando seus investimentos na criação de uma programação científica de excelência. Esse é o diferencial. Qualidade, com preços acessíveis. Não dá pra ficar de fora!

MKT. Qual o maior desafio encontrado pela comissão para a realização de eventos do porte do CIORJ?

PM. Acredito que a operação do evento ainda seja o maior desafio. Evento, como o próprio nome diz, é imprevisível. É preciso desenvolver um projeto que minimize as chances de problemas. Estamos falando de mais de 20.000 pessoas /dia circulando nos dois pavilhões. São números grandiosos, que merecem nosso cuidado em todo processo de organização. Nossa vantagem é ter um grupo coeso, comprometido com a qualidade e fornecedores igualmente capazes e alinhados com nosso objetivo. Somos apaixonados pelo que fazemos e buscamos contagiar aqueles que trabalham conosco.

MKT. Deixe uma dica, uma frase, uma leitura ou algo que possa acrescentar de alguma forma para os leitores do Blog Markentista.

PM. Vou deixar minha frase preferida. Ela é um mantra em minha vida e, como não podia deixar de ser, na construção do CIORJ: “Seja fascinado pelo realizar. O sucesso virá naturalmente.” É uma frase do gênio Nizan Guanaes e resume bem a forma como conduzo minha vida. Meu fascínio está no realizar. No congresso, por exemplo, não há nada mais prazeroso do que ver tomando forma tudo aquilo que um dia foi idealizado na sua mesa de trabalho.

Deixe um comentário