0

Você se garante sozinho (a)?

Pergunta difícil, não é? Como responder, sem parecer arrogante ou presunçoso (a) ao responder que sim ou, ainda, humilde ou frágil ao responder que não? Mas, a verdade é que, essa é uma questão importante para pensarmos sobre nossa posição na vida e nos negócios.

Fonte da imagem: Reprodução

É claro que precisamos acreditar em nós mesmos, nas nossas competências e conhecimentos para avançarmos e enfrentarmos muitos desafios e obstáculos na vida. Essa autopercepção e valorização da nossa capacidade nos ajuda nas lutas e conquistas diárias. Contudo, se pensarmos que cada vez mais dependemos uns dos outros como forma de encontrar e ampliar novos caminhos e soluções para o nosso trilhar, percebemos que esse “se virar sozinho” já não funciona tanto, embora ainda seja valorizado numa sociedade individualista como a nossa.

Todos nós precisamos de ajuda, e em geral, sabemos oferecê-la, mas, pedir ajuda nem sempre é fácil, pois implica na ideia de vulnerabilidade. Expor-se e ficar sujeito ao julgamento dos outros é tão difícil para certas pessoas, que acaba por gerar um comportamento de isolamento, vergonha e medo que impede o indivíduo de avançar e buscar apoio para suas necessidades.

Já pensou que seu colega do lado também pode ter dúvidas, inseguranças e que você poderia auxiliá-lo caso ele pedisse ajuda? Assim como você também poderia ter ajuda, caso fosse capaz de lidar com o desconforto de se expor ao buscar apoio?

Quando escolhemos ficar escondidos (a) com nossos medos e incertezas, preferimos também ficar isolados (a) numa falsa sensação de proteção. Essa atitude protecionista nos impede de sermos conhecidos e de nos conhecermos melhor.

Entender que nem sempre a vulnerabilidade é ruim e que ela pode também nos trazer  benefícios, é necessário. A coragem de se expor contagia os outros que, diga-se de passagem, também têm medo de tal exposição. Afinal, quem não tem?

Portanto, lembre-se de que seu valor não está apenas na imagem de autossuficiência ou de quem tem que se garantir sozinha em tudo, mas, talvez na ousadia de pedir ajuda e na coragem de se mostrar, para crescer e aparecer!

Vânia Vidal de Oliva é Psicóloga Clínica com 28 anos de experiência no atendimento de adolescentes, adultos e na orientação familiar. Atua hoje na Clínica Casa do Crescer na cidade de Curitiba. Colunista do site Mãezíssima, do blog da Clínica Base e do blog Markentista.

Deixe um comentário