0

Você trabalha para quem?

A maioria das pessoas acredita que trabalha para alguém ou para alguma empresa, e em geral busca adaptar-se para fazer o que essas empresas ou chefes esperam do profissional contratado.

O funcionário espera que seu líder oriente, direcione e ensine o que deve ser feito e que reconheça seu esforço e potencial. Acredita que realizando o esperado desempenhará um bom trabalho e consequentemente será recompensado financeiramente ou através de promoções.

Inicialmente este é o script de quase todas as contratações e início profissional, porém ao longo do tempo precisamos refazer uma pergunta e buscar uma nova resposta:

Arte: Markentista

Na verdade, você trabalha para você mesmo! Já pensou nisso? Reflita como sendo você o senhor de seu destino e o comandante de seu próprio barco, mesmo dentro de uma empresa.

Quando você sabe onde quer chegar ou para aonde quer ir, passa a ter a responsabilidade sobre suas ações e escolhas, deixando de ter uma posição passiva e subserviente para ter uma atitude ativa e responsável para com seu desejo e objetivo.

Comece se expondo mais, falando mais, colaborando mais e tome para si não apenas o que lhe foi determinado, mas também aquilo que julga poder melhorar, diferenciar ou agregar valor ao serviço. Busque soluções ao invés de reclamar dos problemas.

Muitas vezes o profissional fica esperando que os outros digam o que fazer.Observe seu ambiente de trabalho e dê sugestões, faça diferente e faça a diferença. Logo será notado e como um profissional proativo e de valor e diferencial, distanciando-se dos funcionários medianos.

Se você quer se destacar ou ser responsável por sua carreira precisa começar a trabalhar para você! Portanto não se limite a fazer o que pedem apenas, faça além! Vá além!

Vânia Vidal de Oliva é Psicóloga Clínica com 28 anos de experiência no atendimento de adolescentes, adultos e na orientação familiar. Atua hoje na Clínica Casa do Crescer na cidade de Curitiba. Colunista do site Mãezíssima, do blog da Clínica Base e do blog Markentista.

Deixe um comentário